COMO NÃO MORRER

Sergio Chnee Regente Sinfônico 2O que acontece conosco quando decidimos não nos conectarmos e não agirmos?

A consequência é a morte de nossa vontade de viver, a morte de nossa saúde, a morte de nossa vida profissional, a morte de uma união amorosa, a morte de nosso tempo para viver, a morte de nossa realização ou de nossos propósitos de vida. Qualquer que seja ela, essa morte será como uma gazela tão cheia de si que não presta atenção ao que o mundo tenta lhe dizer.

Também é muito comum encontrarmos leões que, acostumados a se enxergarem como campeões fortes e vencedores, param de se esforçar e de se manter em grande forma. No exato dia em que desistem de manter os seus dotes de caçador em dia, começam a perecer, abrindo espaço para outros que indubitavelmente virão e tomarão o seu lugar.

Precisamos estimular e manter esse leão vivo dentro de nós. Aliás, o poderio deste animal é tal que muitas pessoas costumam dizer que precisam “matar um leão por dia”. De minha parte, acredito que é muito mais produtivo “ressuscitar um leão por dia”.

Ressurreição vem do latim resurrectio, que veio de resurgere. É a contração de re-, “outra vez”, mais sugere, “levantar-se, erquer-se”. Ou seja, é o estímulo perfeito para se erguer a cada dia. Precisamos estar atentos às áreas de nossa vida das quais nos esquecemos ou para as quais não demos a devida atenção, e reerguê-las. Muitas vezes um processo de mudança começa não com algo novo, mas com a retomada de algo que ficou adormecido.

Muitas empresas lançam novas marcas ao invés de melhorar produtos já existentes. O novo tende a chamar mais atenção das pessoas. Isso porque nós temos essa atitude conosco mesmos: dar mais atenção a uma informação nova do que melhorar algo que já estava sendo trabalhado. Reerguer a força interior em um procedimento que já existia. Ou, praticar um valor que é nosso, mas que deixamos eclipsado por ser mais cômodo.

É necessário ter força para ressuscitar um leão por dia. Mas é uma força muito mais emocional do que física. Porém, há uma grande aliada da força, uma vez que tenhamos tomado a decisão emocional de ressuscitar um leão por dia: o planejamento estratégico.

Sergio Chnee